Rádio Onda Viva

Emissão Online

Pesquisar

Vice-campeão mundial de perseguição é português

A medalha pode ser de prata, mas a página é de ouro na história do ciclismo português: Ivo Oliveira sagrou-se vice-campeão do Mundo de perseguição individual, conquistando, em Apeldoorn, Holanda, a primeira medalha do ciclismo de pista luso em mundiais de elite. Ivo Oliveira encontrou na final o italiano Filippo Ganna, companheiro de Rui Costa na UAE Team Emirates. O luso começou o contrarrelógio de 4 quilómetros mais rápido do que o adversário, comandando a prova até estarem percorridos 2,75 quilómetros. A partir daí Ganna acelerou e deu a volta à corrida. 

Filippo Ganna completou os 4 quilómetros em 4’13’’607, melhorando a marca que trazia do apuramento e confirmando uma velha máxima: quem consegue melhorar da qualificação para a final “arrisca-se” a ganhar. Ivo Oliveira também andou muito bem na corrida de decisão das medalhas, concluindo o esforço em 4’15’’428, a terceira melhor marca portuguesa de sempre.  O registo cronometrado na final só foi ultrapassado pelo próprio Ivo Oliveira na qualificação do Campeonato da Europa de elite, em outubro, com 4’14’’570, e na qualificação da prova de hoje, na qual o gaiense “voo” para cumprir os 4 quilómetros em 4’12’365. 

“As primeiras horas são um bocado de desilusão, porque faltou muito pouco para chegar à medalha de ouro. Mas amanhã, quando acordar e assimilar o que consegui, acho que vou ficar muito feliz, porque esta é a medalha mais importante da minha carreira, até ao momento. Nos treinos antes do Campeonato do Mundo, ainda em Sangalhos e já aqui, percebi que iria fazer um bom tempo, talvez na casa dos 4m14s. Nunca imaginei que chegasse aos 4m12s. Tenho de agradecer a toda a comitiva que aqui está comigo, incluindo aos meus companheiros Rui [Oliveira] e [João] Matias. Agradeço também a toda a gente que está em Portugal a apoiar-me e à minha equipa, por permitir que continue a fazer estas competições de pista”, disse Ivo Oliveira, depois da cerimónia do pódio. 

Esta foi a décima medalha de Ivo Oliveira em campeonatos do Mundo e da Europa. O pecúlio começou em 2013, na categoria de juniores e já foi enriquecido com pódios em sub-23 e em elite, em quatro disciplinas diferentes, perseguição individual, omnium, corrida por pontos e madison. 

Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo

Login

Emissão Online